| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Cotidiana Brasilis
Desde: 09/03/2019      Publicadas: 5      Atualização: 19/03/2019

Capa |  Desenvolvimento  |  Saúde  |  Sociedade


 Saúde

  12/03/2019
  0 comentário(s)


Mentes brilhantes não dependem de corpos perfeitos

Como pessoas com deficiência provam sua eficácia de forma criativa e produtiva desde tempos remotos.

Por muito tempo ainda persiste esta noção mal concebida de que pessoas que nascem com determinadas deficiências são incapazes de realizar atividades “moderadamente complexas” ou de ter triunfos intelectuais páreos aos demais, todavia por muitas vezes durante a história, infelizmente pouco divulgadas no âmbito geral, essas falsas premissas têm sido colocadas por terra diante do talento inato de pessoas que nascem com deficiências das mais complexas e desafiantes, das quais iremos enumerar aqui exemplos de destaque.



A começar pelo brasileiro mundialmente consagrado como multi-instrumentista e compositor, o alagoano Hermeto Pascoal, agora com 82 anos, que além de ser albino possui uma deficiência visual de nascença, mas isso não o impediu de aprender a tocar os mais diversos instrumentos, além de criar outros instrumentos para saciar sua produção musical, se tornou ícone no Jazz mundial e não é a toa que teve como fã e colaborador nada menos que Miles Davis, outro icónico jazzista internacional, quando questionado sobre sua deficiência certa vez disse ele que "música não é para ver, música é para sentir".



Hellen Keller (1880-1968), escritora norte-americana de renome e ativista pelos direitos das mulheres, pobres e negros, premiada pelos mais diversos títulos de sua criação, tornou-se cega e surda ainda na tenra idade por motivos na época indefinidos, mas isso não a impediu de se tornar bacharel com honras em artes pela Radcliffe College, tendo escrito a obra “The Story of My Life(A História de Minha Vida) que foi traduzido para não menos que 50 línguas diferentes narrando sua vida dedicada à superação de sua condição.



Um grande atleta de esportes radicais nos tempos atuais usa nada mais que uma cadeira de rodas para demonstrar suas proezas na rampa! Aaron Fotheringham, um norte-americano de 27 anos, nascido com deficiência na espinha dorsal, começou a praticar sua nova modalidade aos 8 anos de idade enquanto observava seu irmão mais velho praticar BMX num parque próximo a sua residência e foi chamado para participar em sua cadeira de rodas, inventor de seu novo esporte chamado de WCMX, foi capaz de fazer seu primeiro backflip aos 14 anos e seu primeiro backflip duplo aos 18 anos, hoje integra o Nitro Circus Live Show, um show itinerante de esportes radicais que faz turnês pela Austrália, Nova Zelândia, Europa e Estados Unidos.



Sua voz marcante dispensa introduções, mas ainda assim devemos ilustrar aqui em destaque o talento inegável de ninguém menos que o italiano Andrea Bocelli, agora com 60 anos, é músico, compositor, além de ser formado em Direito na Universidade de Pisa, este tenor de cordas vocais possantes nasceu com glaucoma congênito, sendo assim já parcialmente cego, foi aos 12 anos que perdeu totalmente a visão com uma pancada que sofreu na cabeça num jogo de futebol com os então colegas, mesmo assim no mesmo ano de sua tragédia pessoal conseguiu prêmio Margherita d'Oro, em Viareggio, com a canção "O Sole Mio", pois desde cedo se dedicou à música com devida paixão, desde então foram só aplausos e louvores ao seu vibrato.



Ainda falando sobre música temos na China um maestro com síndrome de Down de nome Zhou Zhou, nascido em 1978 em Wuhan, ele sempre foi um apreciador da música clássica, principalmente por conta de seu pai que fazia parte da orquestra local, em 1999 num eventual momento em que apreciava mais um dos ínumeros ensaios da orquestra do pai, foi flagrado por um cineasta ao imitar com exatidão o maestro local, cineasta este que lá se encontrava fazendo um filme sobre a orquestra, a partir daí o inesperado maestro foi condutor em inúmeras apresentações chegando à 168 vezes num só ano durante o período de 1999 à 2006. Infelizmente dada suas outras adversidades físicas como artrite e gota, sua performance não pode ser mais vista com tanta assiduidade, mas isso não o impediu de ter sido inspiração para milhões de pessoas na China com deficiência que não possuíam nenhum grau razoável de reconhecimento.



No que se refere ao autismo são diversos os casos de gênios que se destacam apesar desta condição, aqui vou destacar dois casos, temos o inglês Stephen Wiltshire artista renomado de 44 anos, capaz de pintar enormes quadros de proporções massivas dos mais diversos ambientes urbanos com a inteiração dos mínimos detalhes, mapas complexos de cidades enormes como Nova York, e consegue fazer tudo isso usando apenas a memória fotográfica ao observar tais lugares por breves momentos, uma habilidade ímpar, e temos também o norte-americano Jacob Barnett, um célebre jovem de 20 anos de idade que aos 10 já fazia faculdade e aos 12 já fazia mestrado em Física Quântica, publicado artigos científicos e oficialmente tinha um QI de 170, possivelmente maior hoje em dia, há rumores de que ele irá brevemente ganhar um prêmio Nobel e há quem diga que ele irá refutar a Teoria da Relativida de Einstein quando tiver terminado os detalhes de suas equações em andamento.



E não podemos esquecer de Nick Vujicic, australiano nascido sem braços e sem pernas dada uma condição extremamente rara chamada de Tetra-Amelia, o que foi um grande desafio para ele mesmo ao crescer, principalmente durante a infância e juventude, mas isso não o impediu de superar todas suas diversidades e se tornar um dos líderes motivacionais mais bem recebidos do mundo, trazendo alegria e esperança contagiantes aos que se aproximam dele e de suas palavras, seja no quesito amor, superação ou plenitude, Nick provou e tem provado constantemente que é um bom exemplo de inspiração.



Em menção honrosa aos tempos de outrora podemos mencionar o Nicasius de Voerda (1440-1492) que foi um influente jurista, professor e sacerdote belga durante a idade média apesar de sua cegueira de nascença, tendo se formado na Univeridade de Lovaina em Teologia, e na Universidade de Colônia em Direito Civil e Lei Canônica.



Então caros leitores, é por essas e outras que nunca devemos subestimar os limites da mente humana, mesmo quando adversidades físicas nos são impostas pela natureza, e que devemos sim respeitar quem vive nessas condições mais complexas e que por isso todas as sociedade humanas, grandes ou pequenas, devem ter espaços de integração para todos os que precisam, pois podem ter certeza de que todas essas pessoas mencionadas tiveram ajuda para chegarem onde chegaram.

.









Fontes:

http://www.afb.org/info/about-us/helen-keller/biography-and-chronology/biography/1235

https://www.aaronfotheringham.com/about/

https://www.deficienteciente.com.br/andreabocelli.html

https://www.scmp.com/news/china/society/article/2146895/chinas-genius-conductor-rarely-seen-stage-hes-not-yet-ready-pass

https://www.stephenwiltshire.co.uk/biography.aspx

https://psmag.com/magazine/jacob-barnett-30-under-30

https://www.lifewithoutlimbs.org/

https://www.degruyter.com/view/j/zrgr.2018.135.issue-1/zrgra-2018-1350141/zrgra-2018-1350141.xml

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-75992010000200004

 

  Autor: Caio S. Duarte





Capa |  Desenvolvimento  |  Saúde  |  Sociedade
Busca em

  
5 Notícias